Herbert Ihlefeld
(1914 - 1995)

Oberst
JGr88, I/LG2, JG77, JG52, JG11 e JG1
+1.000 missões de combate
132 vitórias (24 na Inglaterra, +6 quadrimotores, 26 Spitfires)
Prisioneiro de Guerra

Herbert "Ihle" Ihlefeld foi, ao seu tempo, um dos maiores pilotos da Luftwaffe. Embora seu número de vi-tórias tenha sido suplantado por ases mais jovens nos estágios finais do conflito, ele deve figurar merecida-mente entre os nomes mais conhecidos da Força Aérea alemã ao lado de Adolf Galland, Werner Mölders, Günther Lützow e Walter Oesau, tendo sido extremamente bem sucedido em todos os teatros de operação em que serviu.

Nascido em 1º. de junho de 1914 em Pinnow, na Pomerânia, então parte da Alemanha, Ihlefeld iniciou sua carreira militar aos 19 anos, ao ingressar em um regimento de infantaria do Exército em 1933.

No ano seguinte, ele foi transferido para a ainda secreta Luftwaffe, onde serviu inicialmente como mecânico de aviões (Flugzeugtechniker). Pouco depois, em janeiro de 1935, com a patente de Gefreiter, ele ingressou no programa de treinamento de pilotos de caça.

Após a conclusão de seu treinamento, Ihlefeld foi designado para servir como Unteroffizier junto ao I./JG 132 "Richthofen" (Gruppe I da Jagd geschwader 132) em março de 1937. Nessa época, os pilotos da Luftwaffe estavam tendo a rara oportunidade de testar novas táticas e novos aviões nos céus da Espanha, que atravessava uma sangrenta guerra civil.

Fw. Ihlefeld em seu Bf 109B-1 "6-6" (25.06.1938)

Assim, em apoio ao nacionalista general Francisco Franco, vários pilotos foram enviados para a chamada Legião Condor e, entre eles, estava Ihlefeld, que se juntou ao 2./JGr.88 (2º Staffel do Jagdgruppe 88), no final de 1937.

Nos céus de Espanha, "Ihle" se revelaria um dos mais promissores e agressivos pilotos alemães. Quando re-tornou à Alemanha, em julho de 1938, ele havia derrubado um total de nove aeronaves republicanas, o que lhe valeu não apenas o status de ás, mas também uma promoção direta para o posto de Leutnant por bravura em combate. Além disso, em junho de 1939, Ihlefeld foi também condecorado com a Cruz Espanhola em Ouro com Espadas.

Em 01.08.1938, ele havia sido designado para servir no Stab do I(J)/LG 2 (Gruppe I - Jäger - da Lehrgeschwader 2), uma unidade de treinamento operacional de pilotos e que mais tarde se tornaria o I./JG 77. Ao longo do ano de 1939, Ihlefeld faria parte, com alguns de seus colegas, do esqua-drão de vôo acrobático alemão.

Quando a II Guerra Mundial eclodiu, em 01.09.1939, Ihle-feld e seu Gruppe tomaram parte em várias missões duran te a invasão da Polônia. Contudo, sua primeira vitória no conflito viria somente em 29.05.1940, durante a Campanha da França, quando abateu um Morane 406 da Armée de L´Air. No dia 30.06.1940 ele ainda abateria um bombardei-ro Blenheim e um caça Spitfire.

Em 01.07.1940 "Ihle" foi nomeado Staffelkapitän do 1.(J)/LG 2 (1º Staffel - Jäger - da LG 2), liderando-o durante a violenta Batalha da Inglaterra. Enfrentando os ótimos e motivados pilotos da RAF, nos combates pela superioridade aérea sobre o Canal da Mancha, o Oberleutnant Ihlefeld mais uma vez se mostraria um adversário im-placável. Durante esta malfadada campanha (até 27.09.1940), ele derrubaria nada menos que 24 aviões britânicos. Nesse ínterim, após

abater seu 21º avião adversário, Ihlefeld foi condecorado com a Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro em 13 de setembro de 1940 e, no mesmo dia, foi promovido a Hauptmann. Pouco depois, ele foi nomeado Gruppenkommandeur do I.(J)/LG 2.

Embora com menos freqüência, os combates contra a RAF prossegui-ram durante a primavera de 1941 e Ihlefeld conseguiu abater outros dez caças de Sua Majestade. Em 06.04.1941, sua unidade foi transferida para os Bálcãs a fim de tomar parte da invasão da Iugoslávia. Durante uma de suas primeiras missões, Ihlefeld foi abatido pela bateria antiaé- rea e capturado por soldados inimigos.

Enquanto esteve em cativeiro iugoslavo, ele foi severamente maltratado e até colocado diante de um pelotão de fuzilamento, como parte de sua tortura. Ele foi resgatado por tropas alemãs após oito dias de prisão e enviado de volta à Alemanha para se recuperar.

Após algumas semanas, '"Ihle" estava de volta à ativa, a tempo de parti-cipar dos combates sobre Creta, durante a invasão da ilha, abatendo um caça Hurricane em 28.05.1941 (sua 36ª vitória) e sendo agraciado com o Troféu de Honra da Luftwaffe em 12.06.1941. No início desse mesmo mês, a LG 2 foi incorporada a JG 77 (Jagdgeschwader 77) co-mo preparativo para a Operação Barbarossa, sendo que Ihlefeld assu-miu o comando do I./JG 77.

Hptm. Ihlefeld é libertado do cativeiro sérvio.

Com o início da invasão da URSS em 22.06.1941, "Ihle" rapidamente aumentaria seu número de vitórias diante de um adversário mal treinado e "pego de surpresa". No dia 26 de junho de 1941, após derrubar seu 40º adver-sário, o Hauptmann Herbert Ihlefeld tornou-se o 16º soldado da Wehrmacht a ser agraciado por Hitler com as Folhas de Carvalho da Cruz de Cavaleiro.

No dia 03.08.1941, ele derrubaria nada menos que seis aviões inimigos (suas 48ª a 53ª vitórias). A primavera de 1942 veria, além do início da ofensiva alemã em direção ao Cáucaso, uma seqüência espetacular de vitórias múltiplas por parte de Ihlefeld: cinco aeronaves tombaram em 24.03. 1942 (70ª a 74ª vitórias), seguidas de outras sete em 30.03 .1942 (76ª a 82ª), quatro vitórias em 19.04.1942 (85ª a 88ª) e outras sete no dia 20.04.1942, pelo que foi condecorado com a Cruz Germânica nesse mes mo dia.

Herbert Ihlefeld se tornou o 5º piloto da História a alcançar a marca de 100 vitórias confirmadas (excetuando-se as obtidas na Espanha) no dia 22.04.1942, quando ele derrubou quatro aviões soviéticos (suas 98ª a 101ª vitórias).

Por esse feito, ele foi chamado à presença de Hitler, para se tornar o 9º soldado da Wehrmacht a receber as Espadas da Cruz de Cavaleiro em 24 de abril de 1942, sendo promovido a Major na mesma data.

Em 11.05.1942 Ihlefeld foi transferido para o Stab da JG 51, onde passou por um período de treinamento como Kommodore substituto para, em 22.06.1942, se tornar Geschwaderkommodore da mais eficiente unidade de caças da Luftwaffe: a Jagdgeschwader 52 (JG 52). Contudo, exatamente um mês depois, ele foi ferido em um acidente de vôo. Como Ihlefeld havia sido proibido por Hitler de voar em outras missões de combate após rece-ber as Espadas da Cruz de Cavaleiro, ele não obteve qualquer vitória à frente da JG 51 e JG 52 nesse período.

Após sua recuperação, ele seria mantido na Alemanha, sendo nomea do Kommodore da Jagdschule 3 (Escola de Caças 3) em 29.10.1942, cuja unidade de treinamento avançado, a chamada JG 103 ele coman-daria.

Ele permaneceria nesta função até 21.07.1943, quando foi encarrega do de liderar a JG 25, uma pequena unidade atuando na Defesa do Reich que deveria se especializar em missões de grande altitude con tra bombardeiros e em interceptação de caças-bombardeiros De Havilland Mosquito.

Em 01.12.1943 Ihlefeld foi transferido para o Stab da 30ª Jagddivision onde assumiu uma função burocrática. Neste posto ele permaneceria até 01.05.1944, quando se tornou Kommodore da JG 11 e, no dia 20 do mesmo mês, Kommodore da JG 1, unidade esta envolvida na Defe sa do Reich. Voando em combate novamente, Ihlefeld e sua Geschwa der travariam combates ferozes contra os bombardeiros norte-americanos e seus caças de escolta em uma luta desigual.

Mesmo assim, Herbert Ihlefeld mais uma vez se mostraria um adversário de respeito para os americanos e in-gleses tanto na defesa do Reich quanto nos combates para deter o avanço aliado após o desembarque na Nor mandia em 06.06.1944 (o Dia D). No dia 08.05.1944 ele derrubou dois bombardeiros quadrimotores Boeing B-17 e, em um combate memorável, ele destruiu três caças Spitfire (suas 113ª a 115ª vitórias) no dia 12.07.1944 . Dois dias mais tarde, um P-51 Mustang e um Spitfire tombaram sob o fogo de suas armas.

Hptm. Ihlefeld recebe as Espadas. Wolfsschanze (abril de 1942)

No dia 25.07.1944, pouco depois das 19:00hs, Ihlefeld interceptou uma formação de bombardeiros da RAF que se dirigia para mais um ataque noturno sobre a Alemanha. No combate que se seguiu, ele derrubou um bombardeiro Lancaster e outro caça Spitfire - sua 120ª vitória. Até o fim das hostilidades, Ihlefeld teria abatido 15 dos gran-des bombardeiros quadrimotores, sendo ferido em uma ocasião, ao ser abatido por um caça de escolta P-51 Mustang.

Próximo ao fim da guerra, no dia de Ano Novo de 1945, a Luftwaffe planeja seu último ataque ofensivo: a Operação Bodenplatte. O plano - que era de uma inutilidade absurda, o que se explica pelo fato de ter sido concebida e ordenada pelo próprio Hitler - tinha como objetivo a destruição de todas as bases e aviões aliados no noroeste da Europa Para tanto, uma força de 800 caças Bf 109´s e Fw 190´s foi lançada contra estes alvos. O tempo estava péssimo e, embora, tenham obtido algum sucesso, os alemães sofreram pesadas perdas - inclusive de vários ases preciosos. O próprio Ihlefeld comandou a sua unidade neste esforço em vão e foi atingido duramente pela artilharia antiaére-a, vindo a perder seu avião. Mas conseguiu aterrissar atrás das linha alemãs, evitando sua captura.


Nas últimas semanas da guerra, o agora Oberst Ihlefeld esteve envolvido na conversão de sua unidade para os novos caças a jato Heinkel He 162, conhecido como "Salamander" ou, ainda, "Volksjäger". De projeto arroja-

do, esse caça oficialmente não efetuou nenhuma missão real, principalmente devido ao fato do colapso no sistema de abastecimento na Alemanha em 1945. Mesmo assim, há controvérsia se o único Gruppe operacional (o I./JG 1), formado por Ihlefeld, não tenha efetivamente entrado em combate nos caóticos dias finais do III Reich, embora nenhuma vitória com este avião tenha sido confirmada ou documentada. Antes de se render aos britânicos, em 08.05.1945, ele ordenou que os caças He162 fossem destruídos.

Após sua libertação, Ihlefeld iniciou uma carreira na inicia tiva privada e não retornou à vida militar, mesmo após a formação da nova Força Aérea da Alemanha Ocidental, nos anos 50.

Tendo voado mais de 1000 missões de combate durante sua vida, ao longo das quais obteve 132 vitórias confirmadas (nove na Espanha, 67 na frente russa e 56 na frente ocidental - incluindo 24 na Inglaterra, 15 quadrimotores e 26 Spitfires), o Oberst Herbert Ihlefeld faleceu de causas naturais em Wenningsen (Baixa Saxônia), Alemanha, no dia 08 de agosto de 1995, aos 81 anos de idade.

Ihlefeld na revista "Signal".

 


Bf 109E-4 - Hptm. Herbert Ihlefeld, Gruppenkommandeur I.(J)/ LG 2 - Grécia - 1941

 


Bf 109E-7 - Hptm. Herbert Ihlefeld, Gruppenkommandeur I.(J)/ LG 2 - URSS - verão, 1941





He 162A-2 - Oberst Herbert Ihlefeld, Stab I./JG 1 - Leck/Alemanha - Maio, 1945


Ficha do Piloto
Unidades:
- Jagdgruppe 88 
- Lehrgeschwader 2 - Staffelkapitän 1./LG 2
- Kommandeur I./LG 2 (9.40 - 6.41)
- Jagdgeschwader 77 "Herz-As" - Kommandeur I./JG 77 (6.41 - 11.5.42)
- Jagdgeschwader 52- Kommodore (22.6.42 - 28.10.42)
- Jagdgeschwader 11- Kommodore (1.5.44 - 20.5.44 )
- Jagdgeschwader 1 "Oesau"- Kommodore (20.5.44 - 8.5.45)
Aeronaves:
Messerschmitt Bf 109
Heinkel He 162
Campanhas:

Blitzkrieg
Batalha da Inglaterra
Balcãs e Mediterrâneo
Frente Oriental
Defesa do Reich.

Promoções:
 
Condecorações:
- 07.07.1939 - Cruz Espanhola em Ouro c/ Diamantes
- 26.09.1939 - Cruz de Ferro de 2ª classe
- 04.07.1940 - Cruz de Ferro de 1ª classe
- 13.09.1940 - Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro..................................(115º)
- 12.06.1941 - Troféu de Honra
- 27.06.1941 - Folhas de Carvalho da Cruz de Cavaleiro ...........................(16º)
- 20.04.1942 - Cruz Germânica em Ouro ...............................................(2/44)
- 24.04.1942 - Espadas da Cruz de Cavaleiro ...........................................(9º)





 

Principais Ases
Principais Aviões