Alexander Gläser
(1914 - 2003)

Hauptmann
St.G77, SG10 e SG77
1.123 missões de combate
Prisioneiro de guerra

Nascido na cidade de Büdingen, Estado de Hesse (Alemanha), no dia 04 de janeiro de 1914, Alexander “Alex” Gläser pertencia à gama de melhores pilotos e comandantes da história da Stuka/Schlachtgeschwader 77.

Ele iniciou sua carreira na Luftwaffe em meados dos anos 30 como um oficial não comissionado, passando pelo treinamento como piloto de bombardeiro de mergulho. Promovido a Leutnant em 28.05.1939, Gläser serviria a partir de então nos 1º e 2º Staffeln da St.G 77, lutando com essa unidade durante a invasão da Polônia (setembro de 1939) - voando sua primeira missão de combate em 01.09.1939 sobre a localidade de Wielun -, Campanha da França (maio-junho de 1940), Batalha da Inglaterra (julho a setembro de 1940) e invasão da Iugoslávia (abril de 1941).

Quando se iniciou a invasão da URSS (Operação Barbarrossa), em 22. 06.1941, Gläser estava servindo como Kettenführer (líder de formação de vôo). Executando uma série de missões bem sucedidas de apoio ao avanço da infantaria na estepes russas, Gläser foi promovido a Oberleut-nant em 01.10.1941 e recebeu o Troféu de Honra da Luftwaffe pouco de-pois em 24.11.1941. Ele ainda receberia a Cruz Germânica em Ouro em 18.05.1942 antes de ser nomeado Staffelkapitän do 4./St.G 77 (4º Staffel da Stukageschwader 77).

Em dezembro de 1942, ele completou sua 500ª missão e, em reconheci-mento aos seus feitos, o Oberleutnant Alexander Gläser foi condecorado com a Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro em 19 de fevereiro de 1943. Promovido a Hauptmann em 01.04.1943, ele foi nomeado no mesmo mês Gruppenkommandeur do II/St.G 77. No verão de 1943, durante as últimas operações ofensivas executadas pelos alemães na frente russa, ele completou sua 800ª missão de combate, próximo a Kharkov.

Quando, no início de 1944, sua unidade foi retirada da frente de batalha para treinamento de conversão para o Focke-Wulf Fw190, sendo renomeada III./SG 10 (Gruppe III da Schlachtgeschwader 10) em maio de 1944, Gläser foi designado para assumir o comando do “novo” II./SG 77 que ele lideraria até o final da guerra.

Lutando ao longo de toda a retirada em direção à Alemanha, Gläser executou sua 1000ª missão de combate na primavera de 1945, sobre a localidade de Schweidnitz-Weizenroda, durante a Batalha de Breslau (Silésia). Em reconhecimento aos seus feitos e do seu esquadrão durante os combates na cabeça-de-ponte de Steinau (às margens do rio Oder), no dia 28 de março de 1945, o Hauptmann Gläser foi comunicado que Hitler o havia condecorado com as Folhas de Carvalho da Cruz de Cavaleiro, sendo o 811º soldado da Wehrmacht a receber essa honraria. Como Hitler já estava enclausurado em seu Bunker em Berlim, Gläser recebeu suas Eichenlaub das mãos do Reichsmarschall Hermann Göring no dia 07.04.1945.

Gläser continuaria a voar até o último dia da guerra, em 08 de maio de 1945. Dois dias depois, ele voltaria a desempenhar um papel fundamental para sua unidade, ao conseguir negociar com tropas americanas a ren dição de seu Gruppe, escapando do cativeiro soviético.

Tendo executado nada menos que 1123 missões de combate ao longo da II Guerra Mundial (das quais cerca de 600 a bordo do Junkers Ju87 Stuka), o Hauptmann Alexander Gläser veio a falecer em sua cidade natal, no dia 13 de setembro de 2003, quando contava com 89 anos de idade.


Ficha do Piloto
Unidades:
 - Sturzkampfgeschwader 77 - Staffelkapitän 2./St.G 77
- Kommandeur II./St.G 77 (II./SG 77)
- Schlachtgeschwader 10 
Aeronaves:
 - Junkers Ju 87
- Focke-Wulf Fw190
Campanhas:
 - Blitzkrieg
- Batalha da Inglaterra
- Frente Oriental
Promoções:
 
Condecorações:
- 14.09.1939 - Cruz de Ferro de 2ª classe
- 10.05.1940 - Cruz de Ferro de 1ª classe
- 24.11.1941 - Troféu de Honra
- 18.05.1942 - Cruz Germânica em Ouro (21/54)
- 19.02.1943 - Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro (751.º)
- 28.03.1945 - Folhas de Carvalho da Cruz de Cavaleiro (811.º)


Principais Ases
Principais Aviões