Messerschmitt Bf 109
(Variantes e Subtipos)

Devido ao grande número de variantes do Messerschmitt Bf 109, resolvi criar esta página com o propósito de tentar apresentar as principais características existentes na maioria dos subtipos deste que foi o mais importante caça monoposto da Luftwaffe durante a Segunda Guerra Mundial, bem como as diferenças marcantes que haviam entre eles.

Série A - V1,V2,V3
      (1935-1936)


Bf 109 V1:
Primeiro Vôo: 28 de maio de 1935
Motor: Rolls-Royce "Kestrel" II, 12 cil. de 695 hp (decolagem), 532 hp. a 2.300 RPM. e 583 hp. a 3.000 RPM a 3.850 m
Obs:Primeiro protótipo do Bf 109 (D-IABI / W.Nr.758). Equipado com hélice Schwarz Leichtholzschraube de 3 m de diámetro feita de madeira com duas lâminas de passo fixo.

Bf 109 V1

Bf 109 V2: Primeiro Vôo: 12 de dezembro de 1935
Motor: Jumo 210A, V12 invertido de 540~680 hp
Armamento: 2 x MG17 sobre o capô
 Obs: Segundo protótipo (D-IILU) W.Nr. 759. Destruído em acidente durante testes de autonomia em Ivendorf em 1 de abril de 1936.

Bf 109 V3: Primeiro Vôo: 8 de abril de 1936
Motor: Jumo 210A, V12 invertido de 540~680 hp
Armamento: 2 x MG17 sobre o capô e 1 x MGFF/M de 20 mm no eixo da hélice
 Obs: Terceiro protótipo (D-IOQY) Wr.N.760, código da Legião Condor 6-1. Equipado com MG C/30 e 5 SC de acionamento elétrico.



Série B "Berta"
       (1936/1937)

 

Bf 109B-0:Pré-série
Motor: Jumo 210B, V12 invertido de 540~640 hp
Vel. Máxima: 470 km/h
Armamento:
3 x MG17 (duas sobre o capô e uma no eixo da hélice)
 Obs: Foram fabricadas 10 unidades (V4 a V13).

Bf 109B-1:
Motor:Jumo 210Da, V12 invertido de 640~720 hp
Armamento:2 x MG17 de 7.92 mm sobre o capô (alguns modelos foram equipados com 3 x MG17)
Obs:Primeira versão de série do Bf 109. Foram fabricadas aproximadamente 341 unidades. Equipados com hélice VDM-Verstellshraudbe. Cerca de 16 unidades serviram na Espanha (6-4 a 6-18).

Bf 109B-1

Bf 109B-2:
Motor:Jumo 210D(a) e 210E V12 invertido de 610~720 hp
Armamento:2 x MG17 de 7.92 mm sobre o capô
1 x MG17 no eixo da hélice.
Obs:Cerca de 27-28 unidades serviram na Espanha.


Série C "Cäsar"
       (1937/1938)

 

Bf 109C-0: Pré-série, B-2 remotorizado. Protótipos: V8 (D-IPLU), V9, V10 (D-ISLU), V11 e V12. Mudanças na saída de escape e na entrada de ar do radiador.
Motor: Jumo 210Ga V12 invertido de 675~700 hp
Vel. Máxima: 440 km/h
Armamento:
4 x MG17 de 7.9mm (duas nas asas e duas sobre o capô do motor)

Bf 109C-1:
Motor:Jumo 210G de 675~700 hp
Armamento:2 x MG17 de 7.92 mm sobre o capô c/ 500 tiros
2 x MG17 de 7.92 mm nas asas c/ 420 tiros
Obs:Versão de série, idêntico ao C-0. Fabricado pela Messerschmitt, Fieseler, Focke-Wulf e Erla. Cerca de 5 unidades serviram na Espanha (6-46 a 6-50).

Bf 109C-1

Bf 109C-2: Idêntico ao C-1; mais uma metralhadora MG17 de 7.9mm montada no eixo da hélice (foi construído um único protótipo).

Bf 109C-3:Idêntico ao C-1; as MG17 das asas seriam substituídas por dois MGFF de 20mm (esta alteração foi testada originalmente no protótipo V9).

Bf 109C-4:C-1 com motor Jumo 210 Ga de 720 hp mais um canhão MGFF de 20mm no eixo da hélice (foi construído um único protótipo).



Série D "Dora"
      (1938/1939)

 

A série D utilizou os últimos três protótipos (V11,V12 e V13) com estrutura aerodinâmica do Bf 109B-0. Os modelos iniciais eram visualmente idênticos ao 109C, com exceção da perna da bequilha. Já os últimos modelos incluiram uma entrada de ar do turbocompressor igual ao 109E-0 e canos de escape do C-1. Os modelos D foram projetados para serem equipados com motores DB 600 e DB 601. Porém como a disponibilidade desses motores era limitada, eles utilizaram também o motor Jumo 210 das versões anteriores. Foram fabricadas aproximadamente 175 unidades.

Bf 109D-0: Motor: DB 600A de 910~986 hp ou Jumo 210D (das versões anteriores )
 Armamento: 2 x MG17 de 7.9mm nas asas mais 1 x canhão MGFF/M de 20mm no eixo da hélice (mais tarde removido por apresentar problemas).
 Obs: Versão de pré-série; B-2 remotorizado (nem todos).

Bf 109D-1:
Motor:DB 600A de 910~986 hp (4.000 m) ou Jumo 210D (das versões anteriores)
Armamento:2 x MG17 de 7.92 mm sobre o capô
1 x MGFF/M de 20 mm montado no eixo da hélice
* mais tarde o MGFF foi substituído por uma MG17 ou duas MG17 nas asas.
Obs:Versão de série, idêntico ao D-0 com estrutura reforçada; o radiador modificado e tanque de combustivel ampliado. Equipados com hélice VDM Hamilton (construída sob licença).

Bf 109D-1

Bf 109D-2: idêntico ao D-1; o MGFF do eixo da hélice seria substituído por duas MG17 nas asas (o projeto foi abandonado em favor da série E).

Bf 109D-3:idêntico ao D-1; exceto pelas MG17 das asas que seriam substiuídas por canhões MGFF de 20mm. (também ficou apenas no projeto).



Série E "Emil"
      (1939/1940)

Grande modificação no visual do aparelho: a entrada de ar do radiador de óleo teve seu tamanho reduzido; a pequena entrada sob a asa esquerda foi substituída por duas entradas maiores (uma em cada asa) e surgimento de uma outra entrada de ar (do turbocompressor) localizada no lado esquerdo do capô. Nova hélice de três lâminas de passo variável; o trem de pouso foi reforçado, o tanque de combustivel passou para tras do cockpit com a tampa localizada na parte superior da fuselagem, também foi adicionado um seletor para escolher entre os canhões e as MG17.

A maioria das versões do Bf 109E possuía um número limitado de variantes especialmente adaptadas. Estes aparelhos eram equipados com kits previamente instalados de fábrica (ou em campanha) e eram identificados pelos seguintes sufixos:

 
/B
- caça-bombardeiro; equipado com suporte ventral: ETC-50 capaz de carregar uma bomba   de 50 kg ou ETC-250 (1 x 250 kg ou 4 x 50 kg com adpatador ER-4)
/Trop - Versão tropicalizada; incluía um filtro na entrada de ar do turbocompressor e um kit de   sobrevivencia no deserto.
/N - equipado com motor DB 601N de ~1200 hp
/Z - utilizava uma injeção de óxido nitroso (GM-1) para aumentar a potência do motor.

O número de Bf 109E construído é superior a 4.000 unidades. Fabricados pela Messerschmitt, AGO, Fieseler, Erla e WNF (Austria).

Bf 109E-0: Versão de pré-série, protótipos V14 (D-IRTT ) e V15 (D-IPHR).
 Motor: DB 601A de 1000~1100 hp
Vel. Máxima: 570 km/h
 Armamento: 2 x MG17 sobre o capô e 2 x MG17 nas asas.
 Obs: Foram fabricadas 10 unidades.

Bf 109E-0

BF109E-1: Versão de série (janeiro de 1939), E-0 melhorado. A entrada de ar do turbocompressor foi redesenhada; os canos de escape foram modificados. Nos últimos modelos as MG17 das asas foram substituídas por dois MGFF de 20mm.

Bf 109E-1

Bf 109E-1/B: Versão caça-bombardeiro do E-1. Equipado com suporte ETC-50 capaz de carregar uma bomba de 50 kg.

BF 109E-2:Tentativa de instalar o MGFF no eicho da hélice (ficou só no projeto).

BF 109E-3:
Motor:DB 601A de 1000~1100 hp (a 3.700 m)
Armamento:2 x MG17 de 7.92 mm sobre o capô
2 x MGFF de 20 mm nas asas
1 x MGFF de 20 mm no eixo da hélice (geralmente removido em serviço por apresentar problemas).
Obs: Versão de série (final de 1939). Versões iniciais eram idênticas ao E-1. Nos últimos modelos apareceram modificações na carlinga, blindagem e estrutura.

Bf 109E-4: Versão de série (primavera de 1940). E-3 aperfeiçoado, o canhão do eixo da hélice foi removido de fábrica. A carlinga foi modificada, blindagem do cockpit foi reforçada, acento do piloto e estrutura da fuselagem melhorados.

Bf 109E-4/B: Versão caça-bombardeiro do E-4; equipado com suporte ETC-250 capaz de carregar 1 x bomba SC-250 (250 kg) ou 4 x SC-50 (50 kg).

Bf 109E-4/N:  E-4 com motor DB 601N de ~1200 hp.

Bf 109E-4
/Trop:
E-4/B tropicalizado.

Bf 109E-5: Versão de reconhecimento do E-4; sem os canhões MGFF das asas, equipado com uma camera RB21/18 ou Rb 50/30. Velocidade máx. de 600 km/h.

Bf 109E-5
/Trop:
E-5 tropicalizado.

Bf 109E-6:  Versão de reconhecimento do E-4/N, sem os canhões MGFF das asas, equipado com uma camera RB21/18 ou Rb 50/30. Velocidade máx. de +600 km/h.

Bf 109E-7:
Motor:DB 601N de ~1200 hp.
Armamento:2 x MG17 de 7.92 mm sobre o capô
2 x MGFF de 20 mm nas asas
Obs:E-4/N equipado com rack ETC-250 capaz de carregar 1 x bomba SC-250 ou 1 x tanque extra descartavel de 300 litros

Bf 109E-7


Bf 109E-7/Z: E-7 capaz de utilizar uma injeção de óxido nitroso (GM-1) para aumentar a potência do motor em grandes altitudes, 1941.
Motor: DB 601N + GM-1

Bf 109E-7
/U2:
E-7 com blindagem reforçada (1941)

Bf 109E-7
/Trop:
E-7 tropicalizado, incluía um filtro na entrada de ar do turbocompressor e um kit de sobrevivencia no deserto.

Bf 109E-8:     E-7 com motor DB 601A ou 601E de 1300~1350 hp (5.500 m)

Bf 109E-9: Versão de reconhecimento do E-8 com 1 x camera Rb 50/30 e sem os MGFF das asas.



Série F "Fritz"
      (1941/1942)


Alterações marcantes no visual do aparelho: asas maiores, com bordas marginais arredondadas (V23), trem de pouso traseiro semi-retrátil, estabilizadores horizontais sem montantes, o nariz foi reestruturado tornando-se mais afilado e aerodinâmico, com o cone da hélice maior e mais arredondado. O tanque de combustivel voltou a localizar-se no antigo lugar (igual aos B,C e D), com a tampa posicionada ao lado do cockpit. As entradas de ar do radiador de óleo e sob as asas foram redesenhadas e tiveram suas dimensões reduzidas. Novo sistema de rádio (FuG 7a) e tela antiofuscante da mira (Revi C/12D). O número total de Bf 109F construído é de aproximadamente 2.200 unidades. Fabricados pela Messerschmitt, Erla e WNF (Austria).

Bf 109F-0:Versão de pré-série, protótipos V21 (W.Nr.5601), V22 (W.Nr.5602),V23 (CE+BP W.Nr. 5603 e V24 (VK+AB W.Nr. 5604)
 Motor: DB 601N de ~1200 hp.
 Armamento: 2 x MG 17 no capô, 1 x MG FF no eixo da hélice
 

Obs: Como os motores DB 601E e o canhão MG151 ainda não estavam disponiveis, os F-0 foram equipados com motor DB 601N das versões anteriores e um canhão MGFF/M de 20mm montado no eixo da hélice. A entrada de ar do turbocompressor era a mesma do 109E. Foram fabricadas 10 unidades.

Bf 109F-0

Bf 109F-1: Versão de série (1941); idêntico ao F-0 exceto pela entrada de ar do turbocompressor que foi redesenhada, passando a apresentar um formato mais cilíndrico.

Bf 109F-1

Bf 109F-1/B: Versão caça-bombardeiro do F-1; equipado com rack ETC- 250 capaz de carregar 1 x bomba SC-250 de 250kg

Bf 109F-1
/Trop:
F-1 tropicalizado; foi instalado um novo filtro de ar (modelo italiano) na entrada de ar do turbocompressor.

Bf 109F-2:
Motor: DB 601N de ~1200 hp.
Armamento: 2 x MG17 de 7.92 mm nas asas
1 x MG151/15 de 15mm sobre o capô
Obs: O F-2 era visualmente idêntico ao F-1, exceto pelo canhão MGFF/M que foi substituído por um MG151/15, a muito tempo aguardado.

Bf 109F-2 de Galland: Adolf Galland teve dois F-2s especialmente modificados para seu uso na JG26. O primeiro teve as MG17s sobre o capô substituídas por duas MG131 de 13mm. O segundo, tinha os MGFF dos Emil montados nas asas. Os dois aviões ainda eram equipados com um canhão MG151/15 de 15mm no eixo da hélice

Bf 109F-2/Z: F-2 com GM-1.

Bf 109F-2/Trop: Versão tropicalizada do F-2.

Bf 109F-2/R1 até R8: Vários Rüstsatz como armamento adicional, bombas ou tanque extra descartavel.

 R1 - 1 x suporte para bombas ETC-500/IX b (250 kg)
R2 - 4 x ETC 50/VIIId (50 kg cada)
R3 - 1 x tanque descartavel de 300 lts
R7 - 2 × 20 mm MG 151/20 (um sob cada asa)
R8 - 1 x camera Rb 75/30 ou Rb 50/30

Bf 109F-3:Versão de série (primavera de 1942); F-2 remotorizado. Com o F-3 veio o tão aguardado motor DB 601E de 1350hp. Em alguns modelos o MG151 foi substituído pelo antigo MGFF/M que equipava o F-1, no entanto, há muita controversia a respeito de que estes modelos tenham entrado em ação. Algumas fontes afirmam que eles foram empregados pela JG2 e JG26 sobre o Canal da Mancha.

Bf 109F-4:
Motor:DB 601E de 1300~1350 hp
Armamento:2 x MG17 sobre o capô
1 x MG151/20 mm no eixo da hélice
Obs: No F-4 o canhão MG151/15 do eixo da hélice foi subtituído pelo MG151/20 de 20mm. A blindagem frontal da carlinga foi reforçada. Nos últimos modelos a parte frontal inferior (triângulo envidraçado abaixo da mira) também foi reforça-da (igual a série G).
Bf 109F-4

Bf 109F-4/B: Versão caça-bombardeiro do F-4.

Bf 109F-4/Trop: F-4 tropicalizado.

Bf 109F-4/Z: F-4 com GM-1.

Bf 109F-4/R1 até R6: vários Rüstsatz como armamento adicional, bombas ou tanque extra descartavel.

 R1 - 2 × 20 mm MG 151/20 em gôndolas subalares.
R2 - 1 x camera Rb 20/30
R3 - 1 x camera Rb 50/30
R6 - 1 x Suporte ETC- 250 capaz de carregar 1 x bomba SC-250 ou 1 x tanque extra de 300 lts        ou 4 x bombas SC-50 (com adpatador ER 4).

Bf 109F-5: Versão de reconhecimento do F-4; sem o MG151/20; equipado com 1 x camera Rb 50/30; e capacidade para carregar 1 x tanque extra descartavel de 300 lts.

Bf 109F-6:Idêntico ao F-5. Há muita controversia a respeito de que esta versão teria sido também um caça ou apenas um avião de reconhecimento. A versão caça é dita como sendo equipada com motor DB 601N, um MG151/20 no eixo da hélice, duas MG17 sobre o capô, e mais duas MG17 nas asas. A versão de reconhecimento era armada apenas com duas MG17 sobre o capô; e equipada com uma das três câmeras: Rb 20/30, Rb 50/30 ou Rb 75/30.

Bf 109F-6
de Galland:
Adolf Gallland tinha uma versão especial chamada F-6/U, onde as MG17 das asas foram substituídas por dois canhões MGFF/M.



Série G "Gustav"
         (1942/1944)


Série F aperfeiçoada. Foram modificados o capô do motor, a carlinga, o trem de pouso traseiro e os estabilzadore. O radiador de óleo e a sua entrada de ar foram ampliados, o tanque de combustivel passou novamente para tras do cockpit ( igual a versão E) com a tampa localizada na parte superior da fuselagem.
O BF 109G foi a versão mais construída entre todos os 109, o número total é superior a 23.500 unidades. Fabricados pela Messerschmitt, Erla, WNF (Austria), MAVAG (Hungria) e Brasov (Romenia).

Bf 109G-0: Versão de pré-série (1941);
 Motor: DB 601E de 1300~1350 hp
 Armamento: 2 x MG17 de 7.9mm sobre o capô e 1 x MG151/20 de 20mm no eixo da hélice;
 Obs: Foram fabricadas 12 unidades.

Bf 109G-1: Versão de série (1942); G-0 com motor DB 605A ou 605B de 1250~1450 hp; cockpit pressurizado, aparecimento de duas pequenas entradas de ar na lateral dianteira do capô (próximo ao cone da hélice), podia usar GM-1.

Bf 109G-1

Bf 109G-1
/Trop:
Versão tropicalizada do G-1. Esta versão fez os primeiros testes com as MG131 substituíndo as MG17 e prestou serviço no Mediterrâneo, Norte da África e Sul da Rússia.

Bf 109G-2: Os Primeiros modelos eram idênticos ao G-1 sem pressurização. Mais tarde o trem de pouso traseiro tornou-se fixo devido ao tamanho maior do novo pneu (350 x 135) e sem o dispositivo de trava. Alguns foram convertidos a caça-bombardeiros com capacidade para 500 kg de bombas ou dois tanques descartaveis de 300 lts (Bf109G-2/R1).
Motor:Daimler-Benz DB 605A ou 605B de 1250~1450 hp.
Armamento:2 x MG17 sobre o capô (500 tiros)
1 x MG151/20 mm no eixo da hélice (150 tiros)
Bf 109G-1

Bf 109G-2/R1 até R7: vários Rüstsatz como armamento adicional, bombas ou tanque extra descartavel.

 R1 - 1 x bomba SC 250 sob a fuselagem e 2 x tanques extras de 300 lts sob as asas.
R2 - 1 x bomba SC 250 ou 4 x SC 50
R3 - 1 x tanque extra de 300 lts
R4 - 1 x camera Rb 50/30 e 2 x tanques extras de 300 lts sob as asas. Remoção do MG 151/20        e GM-1.
R5 - 2 x MK 108 em gondolas subalares
R6 - 2 × MG 151/20 em gondolas subalares
R7 - 1 x equipamento D/F instalado atras do cockpit no interior da fuselagem. O D/F ajudava a        localizar a aeronave em condições climáticas adversas, quando havia pouca visibilidadde, ou        depois de uma queda.

Bf 109G-3: O G-3 (agosto de 1943) era idêntico ao G-2, com sistema de rádio aperfeiçoado (FuG 16ZY) . Esta variante foi o primeiro G a apresentar as bolhas aerodinâmicas na parte superior das asas devido ao tamanho ligeiramente maior dos novos pneus. Visualmente (além das bolhas das asas) a única diferença era a entrada para a antena do novo rádio.

Bf 109G-1
Bf 109G-4: Idêntico ao G-3; sem pressurização.

Bf 109G-4/R1 até R7: vários Rüstsatz como armamento adicional, bombas ou tanque extra descartavel.

 R1 - 1 x suporte para bombas ETC-500/IX b (500 kg)
R2 - 1 x camera Rb 50/30 e tanque extra de 300 lts.
R3 - 2 x tanques extras de 300 lts e 1 x camera Rb 50/30 (s/ MG17)
R4 - casulo especial para 24 bombas SD 2 sob a fuselagem
R6 - 2 × 20 mm MG 151/20 (um sob cada asa)
R7 - rádio direcional

Bf 109G-5: Um G-3 aperfeiçoado. Os G-5 (excluindo os /Trop) foram os primeiros a substituir as MG17 pelas MG131 (fato este que ocasionou o aparecimento dos característicos ressaltos no capô). O trem de pouso traseiro recebeu um dispositivo de trava. Surgimento de uma pequena antena de rádio (FuG 25a) sob a fuselagem. Os modelos finais foram equipados com uma antena direcional no dorso e um mastro principal menor.

Bf 109G-5 (modelo inicial).
Bf 109G-5 (modelo final).

Bf 109G-5/AS: motor DB 605AS, capô do motor, entrada de ar do radiador modificados. Carlinga e cauda redesenhadas (tipo "Galland" ou "Erla"). O GM-1 foi substituído por um turbocompressor de dois estágios.

Bf 109G-5/AS

Bf 109G-5/U2: Idêntico ao G-5; exceto pela cauda feita de madeira

Bf 109G-6: Versão padrão; foram utilizados vários motores DB 605: 605A-1, 605AS, 605AM e 605D (1475 - 1800 hp). Os G-6 iniciais eram visualmente idênticos aos G-5 sem pressurização. Os modelos finais apresentavam a carlinga e/ou cauda iguais ao da série K, o canhão MG151/20 localizado no eixo da hélice foi substituído por um MK108 de 30mm, alguns equipados com a nova tela antiofuscante da mira (Revi C/16B). O G-6 foi a primeira versão "padrão" capaz de aceitar todos os kits de campanha (Rüstsatz). Além do GM-1 o G-6 também podia fazer uso do MW-50 (injeção de água/metanol).
Motor:DB 605A, 605AS, 605AM e 605D (1.475 - 1.800 hp)
Armamento:2 x MG131 sobre o capô
1 x MG151/20 mm no eixo da hélice ou MK108 (modelos finais)
Obs:--

Bf 109G-6 com carlinga tipo Erla.
Bf 109G-6 com cauda igual ao da série K.
Bf 109G-6 modelo final.

Bf 109G-6/AS:Motor DB 605AS, carlinga, capô do motor, entrada de ar do radiador e cauda foram modificados (igual do 109K). Notar a antena do rádio (FuG 16 ZY) sob a fuselagem.

Bf 109G-6/AS

Bf 109G-6/R1 até R6: vários Rüstsatz como armamento adicional, bombas ou tanque extra descartavel.

 R1 - 1 x suporte para bomba ETC-500/IX b (250 kg)
R2 - 2 x morteiros WGr.21 de 210 mm.(um sob cada asa) ou 2 x bombas 50 kgs (ETC 50/VIIId) e        GM-1
R3 - 1 x tanque descartavel de 300 lts
R4 - 2 × 30 mm MK 108 em gondulas sobalares e GM-1
R6 - 2 × 20 mm MG 151/20 em gondulas sobalares e GM-1

Bf 109G-6/Trop: Versão tropicalizada do G-6.

Bf 109G-6/U2: Idêntico ao G-6; exceto pela cauda feita de madeira.

Bf 109G-6/U3: G-6 provido de injeção de MW 50.

Bf 109G-6/U4: G-6 com trem de pouso traseiro retratil.

Bf 106G-6/N:Versão caça noturno do G-6; equipado com FuG 350 Naxos Z; mais dois canhões MF151/20 de 20mm localizados em gôndolas subalares (igual ao G-6/R-6). O equipamento D/F foi recolocado sob a fuselagem, esta variante nunca entrou em serviço.

Bf 109G-7: Projeto de "padronizar" as versões G-6/U2 e U4.

Bf 109G-8: Versão de reconhecimento do G-6; motor DB 605A ou 605AS. O MG151/20 foi substiuído pelo MK108 de 30mm e as MG131 foram removidas. Era equipado com uma camera Rb 12,5/7,9 ou Rb 32/7,9, tanque descartavel de 300 lts e câmera-metralhadora na asa.

Bf 109G-10: Um G-6 aperfeiçoado. Utilizou vários motores: DB 605AS, 605D, 605D-2, 605DC e 605DB. Era armado com um canhão MK108 de 30mm no eixo da hélice (ou MG151/20 de 20mm) mais duas MG131 de 13mm sobre o capô. Trem de pouso aperfeiçoado, capacitado para usar GM-1 e MW 50, inclusão do FuG 25a IFF, nova tela antiofuscante da mira (Revi C/16B). Esta foi a versão mais rápida do Bf 109G. A antena do rádio (FuG 16 ZY) já existente no G-6/AS agora foi realocada sob a asa esquerda.

Bf 109G-10 com nariz tipo 100, caracterizado por uma saliência na parte inferior e entrada de ar do radiador ampliada (seriais WNr. 130xxx).
Bf 109G-10 com nariz tipo 110. A entrada de ar do radiador é mais rasa , o leme foi modificado e revestido com madeira compensada (seriais WNr. 490000-491000).

Bf 109G-10/AS: equipado com motor DB 605 AS de 1475hp (o DB 605D não estava disponivel em número suficiente).

Bf 109G-10/R1 até R8: vários Rüstsatz como armamento adicional, bombas ou tanque extra descartavel.

 R1 - 1 x suporte para bombas ETC-500/IX b (250 kg) ou 4 x 50 kg.
R2 - 1 x camera Rb 50/30 ou Rb 75/30 no interior da fuselagem atrás do cockpit, injeção de MW        50 e equipamento FuG 25a IFF.
R3 - 1 x tanque descartavel de 300 lts
R4 - 2 × 30 mm MK 108 em gôndulas sobalares, motor DB605D.
R6 - 2 × 20 mm MG 151/20 (um sob cada asa)
R7 - 2 x morteiros WGr.21 de 210 mm.(um sob cada asa)
R8 - 1 x camera-metralhadora BSK 16 na asa esquerda.

Bf 109G-10/U2: G-10 com cauda de madeira

Bf 109G10/U4: Idêntico ao G-10/U2; com deriva vertical de madeira ampliada e trem de pouso retratil.

Bf 109G-12: Versão de treinamento biposto; convertidos do G-2, G-4 e G-6. Sem armamento, a capacidade do tanque de combustivel foi reduzida.

Bf 109G-12

Bf 109G-14: Os G-14 inicais eram visualmente idênticos aos últimos modelos do G-6
 Motor: DB 605AS ou 605AM de 1355~1475hp (1800 hp c/ MW50).
 Vel. Máxima: 650 km/h s/ MW50
 Armamento: 1 x MG151/20 de 20mm no eixo da hélice, 2 x MG131 de 13mm
 Obs: Carlinga tipo "Erla" foi definitivamente padronizada.

Bf 109G-14 (versão inicial)
Bf 109G-14 (versão final)

Bf 109G-14/AS: motor DB 605/AS,

Bf 109G-14/AS

Bf 109G-14/U4: G-14 com cauda de madeira, o MG151/20 foi substiuído pelo MK108 de 30mm,

Bf 109G-14/U6: G-14 com armamento modificado, o MG151/20 foi substiuído pelo MK103 de 30mm.

Bf 109G-14/R1 até R6: vários Rüstsatz como armamento adicional, bombas ou tanque extra descartavel.

 R1 - 1 x suporte para bombas ETC-500/IX b (250 kg)
R2 - 1 x camera Rb 50/30
R3 - 1 x tanque descartavel de 300 lts
R6 - 2 × MG 151/20mm (um sob cada asa)

Bf 109G-16:Idêntico ao G-14; utilizou vários motores DB 605: AM, AS, ASB, ASM. A blindagem foi reforçada; equipado com mais dois canhões MG151/20 em gondolas subalares e suporte ventral ETC-250 para alojar bombas.


Série H

Bf109 V49:Primeiro protótipo da série H, utilizou um Bf 109G-5 (Werk-Nr 16281) com várias modificações na estrutura, principalmente para a instalação do motor DB 628.

Bf109 V50: O segundo protótipo utilizou um Bf 109G-3 (Werk-Nr 15338) com várias modificações na estrutura, principalmente para a instalação do motor DB 628A (semelhante ao programa do Me 209).

Bf109 V55: A estrutura do protótipo Me 209 V6 (Werk-Nr 15709 DV+JC) foi transferida para o 109H depois que o programa do Me 209 foi cancelado. O Bf 109 V55 manteve o grande nariz projetado para o DB 628, apesar de utililzar um DB 605B com um grande turbocompressor do DB 603 instalado.

Bf 109H-0:Versão de pré-série;
 Motor: DB 603E-1 de 1350 hp (decolagem) e 1300 hp (cruzeiro)
 Armamento: 1 x MG151/20 no eixo da hélice e 2 x MG17 sobre o capô.
 Obs: caça para grandes altitudes; utilizou a estrutura do F-4 modificada; capacitado para GM-1.

Bf 109H-1:Estrutura do G-5 modificada; motor DB 605A de 1475 hp mais GM-1, cockpit pressurizado, armamento igual do H-0, podia ser equipado com uma câmera Rb 20/30, Rb 50/30 ou Rb 75/30

Bf 109H-2: Utilizaria a estrutura de um G-5 (Não passou do projeto).
 Motor: Junkers Jumo 213E
 Armamento: 2 x MK 103 ou Mk 108 no capô, 1 x MK 103 ou Mk 108 no eixo da hélice e 2 x MG 151/20 em gôndolas subalares.

Bf 109H-3: Idêntico ao H-2, exceto pelo armamento: 1 x MK 103 no eixo da hélice e 2 x MG 131 em gôndolas subalares.

Bf 109H-4: Proposto para reconhecimento, estrutura do G-5 modificada. Motor DB 605A-1 ou DB 605AS e câmera Rb 50/30 ou Rb 75/30.


* O Bf 109H teve uma curta duração, o programa foi abandonado em favor do Focke-Wulf Ta 152H.



Série K "Kurfürst"
         (1944/1945)


A série K foi baseada no Bf 109G-10 e representa uma tentativa (atrasada) de padronizar as inúmeras variantes do 109G e reduzir o número de subtipos.

Bf 109K-0: Versão de pré-série;
 Motor: DB 605D de 1435~1850 hp
 Armamento: 2 x MG 151/15 no capô (semi-coberto) e 1x MK 108 no eixo da hélice.
 Obs: Bf 109G-10 melhorado, capacitado para GM-1; equipado com FuG 25a IFF, trem de pouso traseiro retratil.

Bf 109K-2:Versão de série; K-0 com motor DB 605ASCM ou 605DCM de 1800~2000 hp, atingindo uma velocidade máxima de ~728 km/h. Nos últimos modelos o canhão MK108 foi substituído por um MK103.

Bf 109K-4:
Motor:DB 605ASCM ou 605DCM de 1.800~2.000 hp
Armamento:1 x Mk108 ou Mk103 no eixo da hélice
2 x MG151/15 sobre o capô
Obs:Idêntico ao K-2 com cockpit pressurizado.

Bf 109K-4

Bf 109K-4/R1 até R6: vários Rüstsatz como armamento adicional, bombas ou tanque extra descartavel.

 R1 - 1 x suporte p/ bomba ETC 500/IX b (250 kg) ou 503
R2 - 1 x camera Rb 50/30
R3 - 1 x tanque descartavel de 300 lts
R4 - 2 x 20 mm MG 151/20 (um sob cada asa)
R5 - 1 x camera Rb 32/7x9 ou Rb 1215/7x9.
R6 - 1 x camera-metralhadora BSK 16 na asa esquerda.

Bf 109K-6:
Motor:DB605D, 605ASCM, 605DCM ou 605L (1475-2000 hp)
Armamento: 1 x Mk108 no eixo da hélice
2 x MK103 ou MK108 em gôndolas subalares
2 x MG151/20 sobre o capô (semi-coberto)

* Nos últimos modelos as MG151 foram substituídas pelas MG131 e os Mk108 pelos MK103.
Obs:Interceptador para grandes altitudes. Equipado com: FuG 25a IFF, tela de mira antiofuscante (Revi C/16B), GM-1, câmera-metralhadora (BSK 16) na asa e cockpit pressurizado.

Bf 109K-8:Versão foto-reconhecimento do K-6; equipado com camera RB 50/30.
 Motor: DB 605ASC ou DB 605DC
 Armamento: 1 x MK 108 ou MK103 no eixo da hélice, 2 x MG131 sobre o capô e 2 x MK 108 em gôndulas subalares.

Bf 109K-10:Motor: DB 605D + MW50
 Armamento: 2 x MG131 no capô, 1 x MK 103 no eixo da hélice e 2 x MK108 em gôndolas subalares.

Bf 109K-14:K-2 remotorizado.
 Motor: DB 605L
 Vel. Máxima: 730 km/h
 Armamento: 2 x MG131 no capô, 1 x MK108 no eixo da hélice e 2 x MK108 nas asas
 Obs: O K-14 entrou em serviço apenas duas semanas antes de terminar a guerra.


Série L

Bf 109L: Este era o projeto Me 209-II disfarçado, depois que o programa foi oficialmente cancelado pelo RLM. O Bf 109L teria sido o Me 209 V6.


Série S "Schuler"

Bf 109S: A série S (Schuler) foi o projeto da Messerschmitt de transformar um Bf 109E padrão num biposto de treinamento. Foi cancelado logo no inicio, ressurgindo em 1942, empregando-se então os 109G.


Série T “Träger"

Do mesmo modo que outros países beligerantes envolvidos na 2ª Guerra Mundial, a Alemanha compreendeu a importância que a Marinha teria no conflito. Desse modo, em 1935 a Kriegsmarine encomendou dois porta-aviões, que seriam chamados de “Graf Zeppelin” e “Peter Strasser”. Para compor as unidades aéreas que ficariam embarcadas nesses navios (cuja conclusão estava prevista para 1944), um grupo de especial de Bf109B´s e Ju87´s foram alocados para o porto de Kiel, mar Báltico, para treinamento como parte do primeiro Trägergruppe (Grupo Embarcado).

Baseado no sucesso inicial das operações de treinamento, a Messerschmitt foi instruída a fornecer para a Kriegsmarine uma versão para porta-aviões do Bf109E. O projeto designado Bf109T (Träger), era uma modificação simples do Bf109E-1, com uma área alar aumentada, a incorporação de um gancho de engate próximo à bequilha e a instalação de pontos de fixação para catapulta. As asas alongadas foram desenhadas com uma articulação, permitindo que as asas fossem dobradas para ocupar menos espaço no porão do navio.

O desenho foi aceito pela Kriegsmarine, mas, em razão da demanda o programa de produção foi transferido para a Fieseler. Dez Bf109E-1´s foram transformados na linha de montagem como aeronaves de pré-produção e receberam o nome de Bf109T-0. Sessenta Bf109T-1 foram encomendados para a Fieseler. No entanto, no abril de 1940, os trabalhos no “Graf Zeppelin” acabaram por serem suspensos e, por fim, cancelados definitivamente no início de 1943. A Fieseler recebeu ordens de completar o pedido de 60 aeronaves, porém para segurar sua utilização, os ganchos e pontos da catapulta foram retirados. Essa variante foi redesignada B109T-2 e era equipada com um suporte central que podia carregar um tanque extra de combustível ou uma variedade de bombas, incluindo quatro bombas de 50kg ou uma de 250kg. A entrega dos Bf109T-2´s começou em março de 1941 com as aeronaves sendo entregues para unidades sediadas na Noruega, onde de operações de pequenos aeroportos era uma necessidade. Em 1943, os aparelhos sobreviventes foram enviados para a fortaleza situada na baía de Heligoland, atuando na defesa da área.



Série Z “Zwilling”

Sem dúvida, a variante mais diferente do Bf109 foi o Bf109Z (Zwilling, isto é, Gêmeos Siameses). O conceito dessa aeronave surgiu em 1940, com a proposta de juntar um par de fuselagens de bombardeiros Heinkel He111, fornecendo potência suficiente para rebocar os grandes planadores de ataque Me321 e Ju 322.

A boa receptividade que essa idéia teve na Luftwaffe levou a Messerschmitt a iniciar uma série de projetos para adaptar um par de fuselagens do Bf109 unidas através de uma asa e leme geminados. A proposta era oferecer à Força Aérea um caça-bombardeiro de alto desempenho sem ter que alterar substancialmente a linha de produção já existente - o que ocorreria em caso de um projeto inteiramente novo.

A proposta da Messerschmitt foi recebida com interesse pelo OKL (Oberkommando der Luftwaffe), e a aprovação para a montagem e testes de um protótipo foram dadas no início de 1942. Para verificar a viabilidade do conceito e suas características de vôo, um par de fuselagens foram montadas no final do ano, na configuração Zwilling. A única modificação foi a incorporação de partes estruturais necessárias para unir as asas e os lemes na cauda, além do reposicionamento do trem de pouso.

Cada porção externa das asas era capaz de ser equipada com um suporte para uma bomba de 250kg e outro suporte de bombas de mais de 500kg poderia ser adaptado à porção central da asa. Em razão do uso de dois motores Daimler-Benz DB 601E, um par extra de radiadores foram colocados na seção central da asa.

Durante a montagem do protótipo, Messerschmitt também iniciou a construção de um modelo aperfeiçoado, que utilizava as fuselagens do 109G e incorporava motores DB605A (padrão do “Gustav”) ou o Jumo 213E. O armamento previsto era um par de canhões MK108 de 30mm disparando pelo cubo da hélice, um canhão MK103 de 30mm na porção central da asa e um par adicional de MK108 em gôndolas sob as porções exteriores das asas.

A despeito das duas fuselagens, o Zwilling ainda continuaria a ser um avião monoposto: o piloto ficaria na fuselagem direita, enquanto que a outra, devidamente selada, seria utilizada para armazenar o combustível do avião.

O protótipo inicial do Bf109Z estava completo em meados de 1943. Entretanto durante os testes de solo, ele foi seriamente danificado em um bombardeio aliado na base onde estava estacionado. Os esforços de reparos foram imediatamente iniciados mas, antes que pudessem ser finalizados, todo o conceito do Zwilling foi abandonado em prol dos novos caças com motor a jato e pelas versões de caça-bombardeiro do Focke-Wulf Fw190.


Principais Aviões
Condecorações